Make your own free website on Tripod.com

 


O DIA DE
PENTECOSTES

O Espírito que recebemos por meio do crer é o Espírito que dá a vida (1 Co. 15:45), que está habitando interiormente. Mas, para obtermos Seu poder que nos capacita a falar e realizar a obra do Senhor, é preciso exercitá-lo. As reuniões são um bom ambiente para isso. Nela podemos invocar o nome do Senhor, orar e ler a Palavra de Deus, cantar e falar os hinos.
Dessa forma, estaremos exercitando nosso espírito até transbordar. Esse transbordar não deve restringir-se tão-somente à nossa satisfação espiritual, mas, antes, deve suprir a outros. Podemos testificar isso após a experiência do Pentecostes, quando os novos cristãos viviam de maneira muito saudável: “E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações” (Atos 2:42). Essa experiência com o Espírito precisa produzir esse viver de perseverarmos no ensinamento dos apóstolos: dando especial atenção a Palavra de Deus ministrada por Seus servos, lendo periodicamente a Bíblia; na comunhão: essa comunhão era o ruminar das porções das palavras que ouviam, compartilhando-as entre os santos; no partir do pão: em que podemos lembrar-nos da morte vitoriosa do Senhor e testemunhar a unidade do Corpo de Cristo; e, nas orações: quando podemos interceder pelos interesses de Deus e colocar nossos irmãos em Sua presença a fim de que sejam assistidos em suas necessidades. (PAV 160)


Um grupo de ceapistas, visitaram uma jovem para falar da salvação em Cristo Jesus, e deixaram um exemplar do Alimento Diário. Ela pediu que voltassem à tarde, para falarem mais sobre esta nova vida.
Os ceapistas retornaram conforme haviam combinado, mas não encontraram o endereço que lhes foi dado. Eles continuaram buscando, até que chegaram à beira de um rio, onde um grupo de mulheres estava lavando suas roupas. Então, aproveitaram esta oportunidade para falar-lhes sobre o amor de Jesus, e ofereceram o Alimento Diário. Esta lavadora, lavou os seus vestidos invocando: “OH SENHOR JESUS!”
Os ceapistas foram convidados em sua casa, e toda sua família foi salva. Aí, ficou estabelecido uma reunião de curso bíblico.


Chegaram na cidade de Eldorado (Argentina), para propagar o Evangelho. Eram quatro ceapistas, que precisavam continuar dependendo do Senhor.
Eles alugaram uma casa, e combinaram com o proprietário de pagar o aluguel em quinze dias. Agora tinham de fazer colportagem para contatar as pessoas, e encontrar um lugar para fazer cursos bíblicos.
Cada dia, eles experimentavam o Senhor, que os supria abundantemente, e também os conduzia às pessoas que seriam salvas.
No final dos quinze dias que estiveram nessa cidade, foram sustentados pelo Senhor; pagaram o aluguel; e o mais glorioso foi que se batizaram três famílias, as quais estão praticando a vida da igreja.

 


Tudo está pronto para a volta do Senhor, mas há ainda na América do Sul, mais de 8000 cidades onde não há o testemunho da unidade da igreja.
O CEAPE forma colportores. Os colportores são irmãos que permitem que o Senhor transforme o seu interior, e depois de 40 semanas, estão prontos para migrar à cidades onde não há a vida da igreja.
Você pode vir ao CEAPE e ofertar para formar mais colportores.

Deposite sua oferta hoje mesmo no Banco Bradesco:
Agência 202/0 C/ Poupança 54669/0,
em nome de: Igreja em Goioerê.
Pelo avanço defesa e confirmação do evangelho
Jaime Ganduglia
ceapefoz@brturbo.com.br